Publicado em Deixe um comentário

Conclusão do banco de espécies invasoras … por enquanto!

Acabei de lançar a última planta no banco de espécies de plantas invasoras no território brasileiro do Arquiflora. Ao todo foram compiladas 224 espécies a partir de listas de 3 entidades que estudam o assunto.

Plantas consideradas invasoras são espécies que, uma vez introduzidas em um ambiente natural diferente do seu próprio, interferem nos processos ecológicos do novo local, alterando a regeneração natural da flora, substituindo as espécies de plantas nativas, interferindo na disponibilidade de nutrientes para a fauna, modificando as condições do solo e o equilíbrio hídrico, promovendo, por fim, a perda da biodiversidade animal e vegetal do ecossistema invadido.

De acordo com a resolução nº 7 da Comissão Nacional da Biodiversidade, espécies exóticas invasoras estão entre as principais causas diretas de perda da biodiversidade e extinção de espécies nativas e, segundo o Instituto Horus de desenvolvimento e conservação ambiental, praticamente 70% das plantas listadas como invasoras no Brasil, foram introduzidas com a finalidade ornamental. Esse fato torna muito relevante a correta atuação do profissional paisagista na especificação das espécie de planta em seus projetos.

O Brasil tem diversas metas nacionais de preservação da biodiversidade para 2020 entre elas, prevenção, contenção e controle de espécies exóticas invasoras. Pensando na contribuição do paisagismo para o tema, criei o banco de dados Plantas invasoras no Arquiflora e nele compilei informações importantes sobre as espécies consideradas invasoras por 3 entidades importantes no estudo do assunto. Além das espécies da base de dados nacional de exóticas invasoras do Instituto Horus, acrescentei ao banco a lista de espécies vegetais exóticas invasoras no município do Rio de Janeiro da Secretaria Municipal do Meio Ambiente do Rio de Janeiro (SMAC) e as espécies indicadas no Guia de plantas não desejáveis na restauração florestal da Agroicone.

O banco Plantas invasoras do Arquiflora pode ser acessado através do menu superior do site. Para interagir com as informações inseridas no banco, pode-se usar os filtros laterais (no desktop) ou no final da página (em dispositivos móveis). Assim ao escolher, por exemplo, Forma de vida e logo após Árvore, o banco retorna uma lista de árvores que são consideradas invasoras.

Apresento abaixo alguns resultados obtidos a partir da aplicação dos filtros no banco. Cada resultado corresponde a uma lista de plantas e você pode acessá-la clicando no link em verde na respectiva linha.

Contribuições

Esse item se refere à contribuição (em quantidade de espécies) de cada uma das listas de espécies consideradas invasoras pelas 3 entidades estudadas para montar o banco.

Ocorrência nas listas

Esse item se refere ao consenso entre as entidades na consideração de uma planta como invasora. Das 224 espécies inseridas no banco:

Famílias

Refere-se a classificação das espécies em famílias. Das 224 espécies inseridas no banco:

Forma de vida

Trata da classificação quanto a forma de vida das espécies. Um espécie pode ser classificada em mais de uma forma de vida.

Ambientes preferenciais de invasão

Refere-se aos ambientes naturais ou não, mais suscetíveis a invasão das espécies de plantas estudadas. Uma espécie pode ter preferência por invadir mais de um tipo de ambiente. Apenas a base de dados do Instituto Horus classifica as espécies quanto aos ambientes preferenciais de invasão.

Impactos ecológicos

Impactos ecológicos são os danos causados pelas espécies ao se estabelecer nos ambientes invadidos. Apenas a base de dados do Instituto Horus classifica as espécies quanto aos impactos ecológicos da invasão. As espécies podem ter mais de um impacto ecológico.

Vias de dispersão

Refere-se aos meios que ajudaram na dispersão e introdução das espécies invasoras nos ambientes naturais ou outros ambientes. Apenas a base de dados do Instituto Horus classifica as espécies quanto as vias de dispersão. Mais de uma via de dispersão pode ter contribuído com a atividade invasora da espécie.

Origem

Esse item se refere a classificação de origem da planta na plataforma do Flora Brasil 2020 do Jardim Botânico do Rio de Janeiro. As 224 espécies foram classificadas de acordo com esse item, sendo:

Presença em publicações

Algumas das 224 espécies de plantas invasoras que foram usadas para compor o banco Plantas invasoras do Arquiflora são indicadas em livros, sites e publicações para arborização urbana e paisagismo. Porém, o que foi exposto neste artigo, mostra a importância de ser abolir o uso dessas espécies. A ressalva seria apenas para as espécies que mesmo consideradas invasoras, são nativas do próprio território brasileiro. Ainda assim a aplicação dessas espécies em qualquer tipo de projeto paisagístico ou de arborização, para citar alguns exemplos, deve ser condicionada ao acompanhamento de profissionais capacitados na área ambiental. Na verdade, qualquer projeto que use uma espécie de planta fora do contexto do seu ambiente natural deve ter o acompanhamento desses profissionais, justamente para evitar que mais espécies causem danos à nossa flora e passem a constar nas listas nacionais de espécies de plantas invasoras no território brasileiro.

Abaixo o numero de espécies consideradas invasoras que estão presentes nas publicações estudadas:

Considerações finais

O melhor contraponto que pode ser feito ao uso de espécies invasoras, por mais bonitas e queridas que sejam, é lembrar que os nossos biomas oferecem espécies nativas fabulosas, que podem (e devem) ser adquiridas através de produtores responsáveis e usadas no paisagismo, arborização de calçadas e praças, e nos reflorestamentos brasileiros.

O uso das espécies nativas ajuda na manutenção da biodiversidade local, proporciona alimentação própria para a fauna nativa, inclusive para insetos que ajudam no controle das pragas e se adequam mais facilmente ao regime de chuvas da região, assim diminuindo o consumo de água potável para irrigação. Outro grande benefício é o cultural: a adoção dessas plantas no paisagismo, trás o contato das pessoas com a natureza original da região em que vivem e que muitas desconhecem.

Para estimular o Paisagismo com espécies nativas, estou montando também um banco de Plantas Nativas do território brasileiro. Esse banco oferece opções de consulta de espécies por estado, bioma (domínio fitogeográfico) e/ou por tipo de vegetação, justamente para ajudar na escolha das espécies mais apropriadas ao local do projeto. Outros filtros oferecem a opção de escolher as plantas por forma de vida, substrato, luz, cor das flores, e outros mais. Conheça o banco em Plantas Nativas.

A pesquisa de espécies invasoras continua e assim que eu tiver novidades eu atualizo o banco.

Agradecimentos

Gostaria de agradecer imensamente à Silvia Ziller, do Instituto Horus, que autorizou o uso de informações da Base de dados nacional de espécies exóticas invasoras, para compor o banco de Plantas invasoras do Arquiflora.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *